Partilhar

Como tratar um gato estressado

Como tratar um gato estressado

A maioria dos humanos tem uma imagem do gato como um animal relaxado, sempre deitado em uma almofada, na cama ou em um sofá, vagabundo e tranquilo. No entanto, o gato é um dos animais que se pode envolver mais facilmente em quadros de estresse. Estes felinos são especialmente sensíveis às mudanças em sua rotina e quando se sentem pressionados podem sofrer muito. Em umComo.com.br ensinamos você como tratar um gato estressado.

Também lhe pode interessar: Como saber se meu gato está estressado
Passos a seguir:
1

A primeira coisa que você deve saber é como identificar um gato estressado e, mesmo que possa parecer mentira, existem certas manifestações muito comuns que nos orientarão sobre o estado de saúde do nosso gato e nos darão os sinais. Se você acha que seu gato pode sofrer de estresse, não hesite em pedir ajuda ao seu veterinário.

2

Entre os sintomas mais comuns que um gato mostra sob situações estressantes estão os seguintes:

  • Marcação territorial, tanto com urina como com arranhões, às vezes apesar de estar castrado.
  • Mudanças no apetite, desde anorexia até ingestão compulsiva.
  • Agressividade.
  • Mudanças no pelo, entre as quais podem ocorrer uma queda excessiva de pelo, calvícies ou inclusive arrancar o próprio pelo.
  • Caráter evasivo, ocultação e rejeição ao contato.
  • Miados constantes.
  • Hiperatividade e nervosismo.
  • Fazer suas necessidades fora de sua caixa.
3

O outro bloco de manifestações físicas do gato estressado está mais associado a problemas de saúde:

  • Diarreias frequentes.
  • Tremores.
  • Vômitos
  • Pupilas dilatadas.
  • Cistite intersticial idiopática.
  • Infecções recorrentes.
  • Problemas de pele.
  • Asma.
4

O gato estressado também costuma apresentar um aspecto diferente ao de um gato saudável. Geralmente costuma colocar as orelhas para trás, mostrar uma expressão triste e desajustada, colocar a cauda caída e mover-se com muito medo. Precisamente porque esta sintomatologia pode ser própria de outras doenças, torna-se importantíssimo consultar o veterinário para descartar outras doenças.

5

A melhor forma de prevenir o estresse nos gatos é proporcionar ao animal normas socializantes desde filhote, este é o modo de habituá-lo à presença de outros humanos e também de outros animais. Lembre-se que precisamente a presença de outros gatos e as rivalidades que ocorrem entre eles estão entre as principais causas de estresse nos gatos.

6

Torna-se fundamental evitar mudanças bruscas de rotina, como viagens, muitos gatos na mesma casa ou visitas demais. O gato é um animal de hábitos muito enraizados e variar sua rotina acabará fazendo com que ele perca a cabeça. Por isso é necessário que você respeite seus tempos e seus hábitos, claro que sempre que não sejam de índole negativa, o que com paciência e educação poderemos redirecionar.

7

Habilitar um espaço adequado para ele e, na medida do possível, amplo e cômodo, onde possa isolar-se quando for preciso e relaxar um pouco, vai dar oxigênio ao nosso bichano. Como dono de um gato você deveria colocar-se em seu lugar e pensar como um gato, já que os gatos precisam de seus momentos e, ainda que sejam carinhosos, também temos de respeitar quando o animal quer ficar sozinho e 'escondido'.

8

Além disso, você pode dar ao seu amigo brinquedos para que ele possa se entreter e arranhadores de unhas para gatos que o ajudem a liberar tensões e a marcar território no objeto adequado. Não os deixe sozinhos durante períodos muito longos, porque são animais que sentem muita falta de seu dono. Se apesar de todas estas práticas, seu animal de estimação não melhorar, você deverá avaliar com seu veterinário a possibilidade de um tratamento com medicamentos.

Se o estresse do seu gato é apenas momentâneo, saiba como acalmar um gato.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Como tratar um gato estressado, recomendamos que entre na nossa categoria de Animais de estimação.

Escrever comentário sobre Como tratar um gato estressado

O que lhe pareceu o artigo?
2 comentários
A sua avaliação:
Regina Faustini
Tenho 2 gatos: A Nina e o Fred. A Nina é egoista e não gosta de dividir comida e brincadeiras; e não interage facilmente com humanos. Pela segunda vez, em 3 meses, ela está com cistite. Medicada com antibióticos pelo veterinário. Preciso submete-la a algum exame específico? A alimentação é intermediária, porque eles têm resistência a várias opções que ofereci.
Sara Viega (Editor/a de umCOMO)
Oi Regina! Se o veterinário não indicou é porque não precisa fazer qualquer exame. Pode saber mais sobre o tratamento de cistite em gatos neste artigo: http://animais.umcomo.com.br/articulo/como-tratar-a-cistite-em-gatos-23057.html Obrigada pelo seu comentário e as melhoras da sua gatinha!
Marlina
Olá boa noite! Adotei minha gatinha quando tinha 6 meses, ela era super docil, adorava carinho, porem depois que foi castrada, ela ficou nervosa, estressada, quando a pegamos no colo ela dá tapas no nosso rosto, arranha e morde muito qualquer pessoa que se aproxime dela, e também na hora do banho ela defeca e urina, antes não era assim... Preciso de ajuda, alguma dica, porque não está normal.. Muito obrigada!

Como tratar um gato estressado
Como tratar um gato estressado

Voltar ao topo da página